Arquivo mensais:agosto 2015

Brincadeiras sensório-motoras


BrincadeirasSM

As brincadeiras sensório-motoras visam ao aprimoramento dos esquemas, e, simultaneamente, constituem situações que propiciam a colocação de certas questões que acabam por conduzir a criança a refletir cada vez mais sobre o fazer.

Exemplos de brincadeiras sensório-motoras:

  • bater em objetos suspensos (mãos e pés);
  • assoprar e assoprar para deslocar;
  • acertar no “alvo”;
  • soltar objetos dentro de caixas;
  • soltar e pegar no ar “sem deixar cair” (pena, algodão);
  • recortar;
  • colar ( grãos, bolinhas de papel, palito, barbante…);
  • pintura livre a dedo/pincel/lápis;
  • rasgar;
  • massa de modelar;
  • amassar papel;
  • corda;
  • amarelinha;
  • peteca;
  • rolar a bola;
  • empurrar com os pés em direção a “alvos”;
  • bater a bola no chão e agarrar em seguida;
  • jogar bola de mão e mão;
  • jogar bola na parede, deixar bater no chão e agarrar;
  • pular procurando atingir distâncias cada vez maiores;
  • empilhar e empurrar sem desfazer;
  • enfileirar empurrar sem desfazer;
  • encaixar;

Sugestões de como podemos facilitar as coordenações sensório-motoras:

  1. Bater a bola suspensa por um fio ou rolar a bola devem anteceder o jogar de mão para mão ou o bater a bola no chão para agarrá-la em seguida.
  2. O encaixe de peças miúdas de plástico pode ser facilitado pela atividade de colocar objetos pequenos dentro de caixas (vai-se reduzindo os tamanhos, pouco a pouco) e depois revirar tudo.
  3. Acertar ao alvo deve vir depois da criança ter vivenciado algumas situações de soltar objetos dentro de recipientes grandes e soltar, esticando bem os braços para o alto, penas ou pedaços de algodão, tentando agarrar sem deixar cair.

Fonte: http://portaleducacaoinfantil.blogspot.com.br/2010/01/brincadeira-sensorio-motora.html#.VdH5QZ1Viko

 

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone

Papinhas

verduras

Na hora das refeições, seu filho faz careta e se recusa a comer legumes, verduras e alguns tipos de frutas? E você, também? Se o seu paladar é tão “chato” quanto o do seu filho (e se resume a comer batata-frita, sorvete e massas), você pode ter um distúrbio alimentar chamado de paladar infantil. Pesquisadores do Centro de Distúrbios da Alimentação da Universidade Duke, nos Estados Unidos, desenvolveram um estudo para saber o que faz um adulto ser “picky eater” – uma pessoa que escolhe demais os alimentos antes de comê-los.

Os médicos pensavam que apenas crianças eram “picky eaters” e que elas iriam crescer e se livrar do problema. Agora, porém, a pesquia deve classificar pela primeira vez uma doença chamada de “alimentação seletiva”, que poderia se aplicar a adultos e crianças.

Ao contrário de pessoas com anorexia ou bulimia, os “picky eaters” não parecem fazer escolhas alimentares baseados na quantidade de calorias. Eles não são necessariamente magros ou obcecados com a forma do corpo. Os pesquisadores não sabem ainda o que impulsiona o comportamento, mas eles dizem que as texturas e o cheiro podem explicar a dieta limitada. Alguns só comem alimentos com uma textura consistente e um tipo de cor e sabor. Para Bianca M. Chimenti Naves, nutricionista da Clínica BKNR, “as pessoas apresentam memórias e sensações positivas e prazerosas com a prática desta alimentação, associada às recordações da infância e adolescência”.

A alimentação dos “picky eaters” é tão limitada que pode interferir nos relacionamentos sociais e profissionais, pois eles passam a recusar convites para jantar com os amigos ou jantares e almoços profissionais.

O problema é que o distúrbio pode afetar toda a família, uma vez que os pais evitam comer alimentos saudáveis e os filhos se espelham neles para fazer suas refeições. “A longo prazo, pode ocasionar uma possível desnutrição. Além disso, uma alimentação pobre em vitaminas, minerais e fibras e rica em gorduras e açúcares, contribui para o desenvolvimento da obesidade e de doenças cardiovasculares”, diz a nutricionista.

Fonte: Revista Crescer – http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI156333-15546,00.html

 

Tenho um “paladar infantil” até hoje e tenho uma luta diária para muda-lo, por que não quero dar um mal exemplo de alimentação pra Heitor.

Sempre fui chata pra comer, não comia verduras (confesso que não gosto muito até hoje), legumes, etc e sempre amei (e amo, mas evito) comer porcaria (como diz minha sobrinha Marina). As vezes tinha vergonha de ir pra casa de alguém, por que já pensava: Ai meu Deus, e se eu tiver que almoçar lá e não gostar da comida?!”. E sempre era um martírio pra mim. Por isso uma grande preocupação que eu tenho é com a alimentação de Heitor. Sempre tive em mente não dar alimentos industrializados, nem açúcar e nem besteiras até ele fazer, no mínimo, dois anos. Claro que depois disso fica mais difícil controlar, mas em casa pretendo manter a alimentação dele saudável, colorida e variada. A pediatra dele (que é ótima, por sinal) também pensa do mesmo jeito. Isso sem contar que Igor nasceu com alergia a corantes e Heitor pode ter herdado a mesma alergia, então, é melhor não arriscar.

Não quero dizer que sou melhor mãe do que ninguém, nem que só meu jeito de criar um filho é o certo e também não penso que no futuro ele vá me cobrar por eu ter feito do jeito A ou do jeito B, mas não quero que ele passe por essa questão e tenha o “paladar infantil”.

Sempre fiz (e faço) as comidinhas de Heitor, desde a primeira frutinha amassada até hoje. A vezes quando acontece alguma imprevisto ou em algumas viagens, recorro as papinhas congeladas, mas não industrializadas.

As papinhas que compramos, não tem conservantes. São preparadas do mesmo jeito que a gente prepara na nossa casa e depois congeladas. Abaixo vou falar de algumas papinhas (e comidinhas) que Heitor já comeu (e come até hoje).

Imagem: Google

 

EMPORIO DA PAPINHA

O Empório da Papinha desenvolve papinhas e refeições orgânicas congeladas com uma técnica de congelamento que não influencia no valor nutricional dos alimentos.

Heitor adora e come desde sempre. E o bom é que lá em Recife também tem, então quando viajamos pra lá já sei que posso ficar tranquila.

As receitas do Empório da Papinha são desenvolvidas com alimentos orgânicos, que são mais ricos em nutrientes e livres de agrotóxicos. Além disso, os produtos passam pelo ultra congelamento na fase de produção, o que garante um alimento mais saboroso, sem perder sabor e textura, além de evitar contaminação por bactérias e permitir que o alimento tenha validade de seis meses no congelador.

Além das papinhas para babys, o Emporio conta também com refeições individuais e Family. As três linhas são preparadas com legumes, verduras, frutas, cereais, leguminosas e carnes sem agrotóxico, adubos artificias ou modificações genéticas. E para manter o sabor, nutrientes e a qualidade, a marca usa um dos métodos mais eficientes de conservação, o ultracongelamento, garantindo um processo natural e sem a necessidade de usar conservantes, corantes ou estabilizantes. Com isso, os alimentos são congelados e duram por até seis meses no freezer.

O valores vão de R$ 7,40 a R$ 10,70 e as quantidades dos potinhos variam de 100g a 250g (para linha Family).

 

www.emporiodapapinha.com.br

Banana 2 Bie 2 Binho 3 Caruzzi Elô Paty 2

Fotos: Empório da Papinha

GOURMETZINHO 

O Gourmetzinho é outra alternativa de alimentação saudável para bebês. Completas, nutritivas, saborosas e livres de conservantes, todas as papinhas são preparadas apenas com produtos frescos e naturais para bebês de 6 a 18 meses de idade.

Heitor já passou por todas as fases das comidinhas do Gourmetzinho. Agora ele come a Fase 3 e ama.

Todas as receitas são desenvolvidas pelo Chef Amilcar G. de Azevedo, que além de comandar as panelas do GOURMETZINHO, é proprietário e chef de cozinha do restaurante NOU.

Cada receita é pensada de modo a se obter, além de todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento, um sabor único e especialmente adaptado para o paladar dos bebês. O tempo correto de cozimento e a combinação dos ingredientes permitem que as papinhas sejam ricas em sabor mesmo sem a adição de sal ou açúcar.

Uma equipe formada por nutricionistas, pediatra, psicopedagoga e veterinária especialista em Saúde Pública, colaboram em todas as fases do processo, visando  perfeita adequação nutricional através de ingredientes especiais para o desenvolvimento em cada fase da vida do bebê. É importante ressaltar que, durante todo o processo de produção, há uma busca constante pela máxima segurança alimentar.

As papinhas e comidinhas do Gourmetzinho estimulam nos bebês o refinamento do paladar. Quando expostas a sabores complexos, variados tipos de ingredientes, texturas, e cores, as crianças têm menores chances de desenvolverem o que conhecemos como paladar infantil, ou seja, indivíduos que têm grande dificuldade em aceitar alimentos saudáveis depois de crescidos, que optam geralmente pelos mesmos alimentos, não toleram principalmente frutas e vegetais, e escolhem alimentos processados e industrializados que remetem ao sabor das papinhas industrializadas que consumiam quando bebês. Por isso me preocupo tanto com a alimentação de Heitor (não quero que ele tenha um “paladar infantil“ que eu sempre tive e hoje luto tanto para mudar).

O valores vão de R$ 8,50 a R$ 14,50 e as quantidades dos potinhos variam de 120g a 250g.

www.gourmetzinho.com.br

 

 

Papinha 1 Papinha 3

 

Fotos: Gourmetzinho

MANIA DE PAPINHA

A Mania de Papinha nasceu da cabeça de dois jovens paulistas inconformados com o difícil acesso a alimentos saudáveis. Muito antenados com as novidades tecnológicas mas bastante preocupados com o meio ambiente e a saúde. Cientes da falta de tempo e correria das grandes cidades decidiram fornecer de maneira responsável, criativa e sustentáve alimentos organicos para os pequenos.

Todos os ingredientes são orgânicos (com exceção da carne vermelha), as papinhas são feitas manualmente, congeladas em um ultragongelador logo após o preparo e são entregues em um freezer portátil, assim não sofrem variação de temperatura até o momento que que chegam a nossa casa e tem validade de 3 meses no nosso congelador. Ah… sem contar as embalagens que além de serem 100% sustentaveis, feitas de papel biodegradavel, são lindas e fofas!

O valores vão de R$ 8,50 a R$ 10,50 e as quantidades dos pontinhos variam de 120g a 160g.

www.maniadepapinha.com.br

 

foto01p foto03p

IMG_20150814_120116 foto02p

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone

VIAGENS DE AVIÃO – Vôos longos – Heitor 6 meses

 

IMG_3784

Menos de 1 mês depois da primeira viagem de avião de Heitor, viajamos pra Nova Iorque. E ele foi conosco, claro. Mesmo sendo uma viagem longa e internacional, como já tínhamos ido pra lá eu estava relativamente tranquila.

Li muito sobre o assunto e o primeiro passo foi escolher um vôo a noite, assim Heitor dormiria o vôo inteiro (e começar a rezar, pra dar certo kkkk). Fiz todo um cronograma do vôo, coordenei as refeições dele para dar a mamadeira na hora da decolagem e da aterrissagem, fiz as papinhas salgadas e congelei (as frutas eu dei normalmente as de lá)… enfim, tudo certo.

Para o armazenamento das papinhas, eu coloquei uma fralda no fundo de uma bolsa térmica, coloquei uma bolsa de gel congelada (daquelas que a gente usa pra colocar em contusões) e só depois coloquei as papinhas. Deixei pra tira-las do congelador bem na hora de sairmos. O frigobar do nosso hotel tinha um mini congelador e deu pra armazenar tudo lá, sem maiores problemas. Caso não tivesse, o meu plano B era pedir pra armazenarem na cozinha do hotel. Ah, um detalhe: deixei a bolsa termina no congelador de casa, um dia antes da viagem. Quando ele ia comer, pedia pra esquentarem no microondas e pronto. Heitor comia a comidinha dele de sempre e ficava com o bucho cheio.

No vôo aconteceu tudo como esperado. Ele mamou na hora que o avião tava decolando e logo depois dormiu. Como a gente tinha pedido aqueles bercinhos, ai foi só coloca-lo lá e ele dormiu o vôo inteiro (confesso que fiquei um pouco com medo, vai que roubam ele no vôo. Oi? #aloca). E eu fui dormir também… #sqn! Fui atualizar os filmes que eu queria ter visto e ainda não tinha tido tempo!

Os dias lá foram super tranquilos. A temperatura estava ótima. Nem estava aquele calor de derreter, como no verão e nem estava frio (Quem é feliz no frio, minha gente? Eu não! :/). Só um dos dias que foi mais frio, mas nada demais.

Ficamos no Empire Hotel, na 44 West com a 63Rd. Ao lado do Linconl Center e vizinho do P.J. Clarks (gordinha fellings). Também bem pertinho do Central Park, do Columbus Circle, 5 Avenida, etc…

Igor foi a trabalho, por isso eu saia com Heitor sozinha pra passear e no final do dia encontrava com ele. Ah e conseguíamos almoçar juntos também.

Heitor deu trabalho zero! E olhe que os dois primeiros dentinhos dele apontaram no segundo dia da viagem. Sem febre, sem abuso, sem choradeira!

Passeamos bastante e Heitor amou.

Na volta fiz o mesmo esquema da ida. Pegamos um vôo noturno, organizei as refeições dele durante o dia pra ele tomar o gagau na decolagem e aterrissagem, etc… Mais uma vez, parabéns pro meu pequeno. Deu tudo certo e agora era só programar a próxima viagem.

IMG_3844   IMG_3853

IMG_3821  IMG_3828

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone

EXPLORANDO A PARTE SENSORIAL – Barquinhos de gelo

Ice-Boats-Water-Play1-500x375

As brincadeiras sensoriais, utilizadas em casa, ensinam as crianças a se sentirem mais confortáveis com o mundo que as cerca, e de quebra reforçam o vínculo afetivo entre pais e filhos. Quando a estimulação sensorial acontece em uma atmosfera alegre e relaxada, isso contribui para que a criança desenvolva uma relação positiva com o próprio corpo, o que por sua vez a encoraja a ser mais sociável e interativa, por isso são tão importantes essas atividades.

Barquinhos de gelo

Material:

  • Gelo feito em vasilhinhas retangulares
  • Corante alimenticio
  • Triangulos feitos com EVA coloridos
  • Caixa grande de plastico ou a própria banheira do bebe ou piscininha inflavel
  • Palitos de picole
  • Cola

Ice-Boats-Water-Play2-300x225 Ice-Boats-Water-Play3-300x225

Modo de fazer

Faça os gelos, misturando um pouco de corante colorido em cada recipiente, para fazer vários barquinhos de cores variadas. Cole os triângulos numa das pontas do palito para fazer uma bandeira e a outra ponta coloque na forma pra fazer o mastro. Quando estiver congelado, desenforme e brinque com seu filho, embarcando na sua imaginação.

Fonte: www.learning4kids.net

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone