Papinhas

verduras

Na hora das refeições, seu filho faz careta e se recusa a comer legumes, verduras e alguns tipos de frutas? E você, também? Se o seu paladar é tão “chato” quanto o do seu filho (e se resume a comer batata-frita, sorvete e massas), você pode ter um distúrbio alimentar chamado de paladar infantil. Pesquisadores do Centro de Distúrbios da Alimentação da Universidade Duke, nos Estados Unidos, desenvolveram um estudo para saber o que faz um adulto ser “picky eater” – uma pessoa que escolhe demais os alimentos antes de comê-los.

Os médicos pensavam que apenas crianças eram “picky eaters” e que elas iriam crescer e se livrar do problema. Agora, porém, a pesquia deve classificar pela primeira vez uma doença chamada de “alimentação seletiva”, que poderia se aplicar a adultos e crianças.

Ao contrário de pessoas com anorexia ou bulimia, os “picky eaters” não parecem fazer escolhas alimentares baseados na quantidade de calorias. Eles não são necessariamente magros ou obcecados com a forma do corpo. Os pesquisadores não sabem ainda o que impulsiona o comportamento, mas eles dizem que as texturas e o cheiro podem explicar a dieta limitada. Alguns só comem alimentos com uma textura consistente e um tipo de cor e sabor. Para Bianca M. Chimenti Naves, nutricionista da Clínica BKNR, “as pessoas apresentam memórias e sensações positivas e prazerosas com a prática desta alimentação, associada às recordações da infância e adolescência”.

A alimentação dos “picky eaters” é tão limitada que pode interferir nos relacionamentos sociais e profissionais, pois eles passam a recusar convites para jantar com os amigos ou jantares e almoços profissionais.

O problema é que o distúrbio pode afetar toda a família, uma vez que os pais evitam comer alimentos saudáveis e os filhos se espelham neles para fazer suas refeições. “A longo prazo, pode ocasionar uma possível desnutrição. Além disso, uma alimentação pobre em vitaminas, minerais e fibras e rica em gorduras e açúcares, contribui para o desenvolvimento da obesidade e de doenças cardiovasculares”, diz a nutricionista.

Fonte: Revista Crescer – http://revistacrescer.globo.com/Revista/Crescer/0,,EMI156333-15546,00.html

 

Tenho um “paladar infantil” até hoje e tenho uma luta diária para muda-lo, por que não quero dar um mal exemplo de alimentação pra Heitor.

Sempre fui chata pra comer, não comia verduras (confesso que não gosto muito até hoje), legumes, etc e sempre amei (e amo, mas evito) comer porcaria (como diz minha sobrinha Marina). As vezes tinha vergonha de ir pra casa de alguém, por que já pensava: Ai meu Deus, e se eu tiver que almoçar lá e não gostar da comida?!”. E sempre era um martírio pra mim. Por isso uma grande preocupação que eu tenho é com a alimentação de Heitor. Sempre tive em mente não dar alimentos industrializados, nem açúcar e nem besteiras até ele fazer, no mínimo, dois anos. Claro que depois disso fica mais difícil controlar, mas em casa pretendo manter a alimentação dele saudável, colorida e variada. A pediatra dele (que é ótima, por sinal) também pensa do mesmo jeito. Isso sem contar que Igor nasceu com alergia a corantes e Heitor pode ter herdado a mesma alergia, então, é melhor não arriscar.

Não quero dizer que sou melhor mãe do que ninguém, nem que só meu jeito de criar um filho é o certo e também não penso que no futuro ele vá me cobrar por eu ter feito do jeito A ou do jeito B, mas não quero que ele passe por essa questão e tenha o “paladar infantil”.

Sempre fiz (e faço) as comidinhas de Heitor, desde a primeira frutinha amassada até hoje. A vezes quando acontece alguma imprevisto ou em algumas viagens, recorro as papinhas congeladas, mas não industrializadas.

As papinhas que compramos, não tem conservantes. São preparadas do mesmo jeito que a gente prepara na nossa casa e depois congeladas. Abaixo vou falar de algumas papinhas (e comidinhas) que Heitor já comeu (e come até hoje).

Imagem: Google

 

EMPORIO DA PAPINHA

O Empório da Papinha desenvolve papinhas e refeições orgânicas congeladas com uma técnica de congelamento que não influencia no valor nutricional dos alimentos.

Heitor adora e come desde sempre. E o bom é que lá em Recife também tem, então quando viajamos pra lá já sei que posso ficar tranquila.

As receitas do Empório da Papinha são desenvolvidas com alimentos orgânicos, que são mais ricos em nutrientes e livres de agrotóxicos. Além disso, os produtos passam pelo ultra congelamento na fase de produção, o que garante um alimento mais saboroso, sem perder sabor e textura, além de evitar contaminação por bactérias e permitir que o alimento tenha validade de seis meses no congelador.

Além das papinhas para babys, o Emporio conta também com refeições individuais e Family. As três linhas são preparadas com legumes, verduras, frutas, cereais, leguminosas e carnes sem agrotóxico, adubos artificias ou modificações genéticas. E para manter o sabor, nutrientes e a qualidade, a marca usa um dos métodos mais eficientes de conservação, o ultracongelamento, garantindo um processo natural e sem a necessidade de usar conservantes, corantes ou estabilizantes. Com isso, os alimentos são congelados e duram por até seis meses no freezer.

O valores vão de R$ 7,40 a R$ 10,70 e as quantidades dos potinhos variam de 100g a 250g (para linha Family).

 

www.emporiodapapinha.com.br

Banana 2 Bie 2 Binho 3 Caruzzi Elô Paty 2

Fotos: Empório da Papinha

GOURMETZINHO 

O Gourmetzinho é outra alternativa de alimentação saudável para bebês. Completas, nutritivas, saborosas e livres de conservantes, todas as papinhas são preparadas apenas com produtos frescos e naturais para bebês de 6 a 18 meses de idade.

Heitor já passou por todas as fases das comidinhas do Gourmetzinho. Agora ele come a Fase 3 e ama.

Todas as receitas são desenvolvidas pelo Chef Amilcar G. de Azevedo, que além de comandar as panelas do GOURMETZINHO, é proprietário e chef de cozinha do restaurante NOU.

Cada receita é pensada de modo a se obter, além de todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento, um sabor único e especialmente adaptado para o paladar dos bebês. O tempo correto de cozimento e a combinação dos ingredientes permitem que as papinhas sejam ricas em sabor mesmo sem a adição de sal ou açúcar.

Uma equipe formada por nutricionistas, pediatra, psicopedagoga e veterinária especialista em Saúde Pública, colaboram em todas as fases do processo, visando  perfeita adequação nutricional através de ingredientes especiais para o desenvolvimento em cada fase da vida do bebê. É importante ressaltar que, durante todo o processo de produção, há uma busca constante pela máxima segurança alimentar.

As papinhas e comidinhas do Gourmetzinho estimulam nos bebês o refinamento do paladar. Quando expostas a sabores complexos, variados tipos de ingredientes, texturas, e cores, as crianças têm menores chances de desenvolverem o que conhecemos como paladar infantil, ou seja, indivíduos que têm grande dificuldade em aceitar alimentos saudáveis depois de crescidos, que optam geralmente pelos mesmos alimentos, não toleram principalmente frutas e vegetais, e escolhem alimentos processados e industrializados que remetem ao sabor das papinhas industrializadas que consumiam quando bebês. Por isso me preocupo tanto com a alimentação de Heitor (não quero que ele tenha um “paladar infantil“ que eu sempre tive e hoje luto tanto para mudar).

O valores vão de R$ 8,50 a R$ 14,50 e as quantidades dos potinhos variam de 120g a 250g.

www.gourmetzinho.com.br

 

 

Papinha 1 Papinha 3

 

Fotos: Gourmetzinho

MANIA DE PAPINHA

A Mania de Papinha nasceu da cabeça de dois jovens paulistas inconformados com o difícil acesso a alimentos saudáveis. Muito antenados com as novidades tecnológicas mas bastante preocupados com o meio ambiente e a saúde. Cientes da falta de tempo e correria das grandes cidades decidiram fornecer de maneira responsável, criativa e sustentáve alimentos organicos para os pequenos.

Todos os ingredientes são orgânicos (com exceção da carne vermelha), as papinhas são feitas manualmente, congeladas em um ultragongelador logo após o preparo e são entregues em um freezer portátil, assim não sofrem variação de temperatura até o momento que que chegam a nossa casa e tem validade de 3 meses no nosso congelador. Ah… sem contar as embalagens que além de serem 100% sustentaveis, feitas de papel biodegradavel, são lindas e fofas!

O valores vão de R$ 8,50 a R$ 10,50 e as quantidades dos pontinhos variam de 120g a 160g.

www.maniadepapinha.com.br

 

foto01p foto03p

IMG_20150814_120116 foto02p

Uma ideia sobre “Papinhas

  1. Pingback: Empório da Papinha preocupado com, muito mais, do que a alimentaçãoque - Minha mãe não é daqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *